• Jório Mesquita

Onde você está na jornada da vida?


Imagem gentilmente cedida por Pixabay
Gentilmente cedida por Pixabay

Eu tenho sido desafiado em vários momentos em minha vida e constantemente penso sobre como tenho conseguido me manter fascinado pelo que faço. Eu acredito que estou em um período onde consigo contribuir para melhorar a vidas das pessoas em vários aspectos.


Neste último domingo, almoçando com amigos, ao ser perguntado sobre as perspectivas deste ano, final da semana após o Carnaval, fizemos um balanço de expectativas, isso incluindo nossos planos e de nossos filhos. Não pude deixar de perceber que, quando falamos dos nossos, existe um exagero de preocupação. Desemprego, em alguns casos excesso de trabalho, relacionamentos amorosos que terminam etc.


Fiquei pensando em cada fala e não pude deixar de me lembrar do que a vida em nossas fases etárias significa e algumas coisas vieram à minha mente e que eu quero compartilhar.

Por mais que pensamos e analisamos a situação de cada um, temos a tendência de comparar a caminhada da vida de nossos queridos filhos com as nossas e achando que de alguma forma eles estão sofrendo ou tendo dificuldades em se acertarem. Mas, isso faz parte da vida! Pois a vida é composta de ciclos que compõem a nossa jornada.


Veja que aos vinte anos estamos vivendo de aprendizados, fizemos opções de que profissão seguir, entramos em uma faculdade, arrumamos o primeiro emprego e começamos a ter nossas primeiras experiencias profissionais. No campo afetivo, partimos para explorar relacionamentos a procura de uma cara metade. Portanto esta fase é a do aprendizado.


Em nossa vida aos trinta anos já conseguimos identificar algumas preferências e aumentamos o foco naquilo que mais gostamos, estes anos são intensos e de muito trabalho. Não podemos desconsiderar que esta é a fase da “ralação”. Para mulheres e alguns casais com a chegada dos filhos acontecem muitas mudanças, exigências e demandas que podem destruir relacionamentos, fazer você repensar nas opções feitas anteriormente e explorar novos caminhos profissionais e relacionamentos.


Nos nossos anos quarenta partimos para a nossa fase mais produtiva e onde colhemos os frutos plantados nas décadas anteriores. Neste período, a gente se sente maduro e conhecendo o caminho percorrido, a família já está formada, a gente já inicia a transferência de muitas coisas que aprendemos e praticamos a outras pessoas e inicia-se uma fase de colher resultados. Não é difícil pessoas assumirem cargos mais elevados nas organizações, mudarem de emprego por opções melhores ou